Silvio Meira, cientista-chefe da TDS Company, foi o convidado especial do IGDeias do dia 2 de agosto. Na ocasião, o renomado professor e empreendedor deu sua contribuição para o tema “Como se adaptar ao figital?”, o espaço físico ampliado pelo digital e orquestrado  pelo social que vem sendo formado há pelo menos duas décadas e transformou profundamente mercados, empresas, times, pessoas, cidades, países, governos, enfim, tudo. 

“A principal diferença que o mundo figital traz para os trabalhadores diz respeito às transições dramáticas habilitadas por tecnologias digitais. Elas afetam onde nós trabalhamos, que valor devemos gerar e como trabalhamos. Isso envolve novos conjuntos de competências e habilidades que irão levar a um deslocamento de 15% da força de trabalho apenas nos próximos 15 anos aqui no Brasil. São funções que deixarão de existir e outras novas que serão criadas”, prevê o cientista.

No encontro, Silvio Meira falou ainda sobre como o espaço figital impacta a vida em sociedade, presença [ou ausência] de políticas públicas e como o Brasil pode se preparar [e está se preparando] para esta nova dinâmica, dentre outros tópicos. 

O papo tá bem legal e pra conferir na íntegra, basta clicar no vídeo abaixo. 

EMPRESAS E O ESPAÇO FIGITAL

Ao comentar sobre a performance dos negócios no ambiente figital, Silvio Meira defendeu a necessidade de investimento em estratégia e inovação para a captura de valor. “Toda empresa já está imersa no espaço figital. O mundo figital não é algo que acontece apenas dentro da empresa, ele é um conjunto de transições que acontece nos mercados, nas economias, na sociedade como um todo. O grande problema é que os negócios podem estar competindo apenas na dimensão física, o que limita bastante o seu raio de ação”.

STRATEEGIA: A PLATAFORMA DE COLABORAÇÃO CRIATIVA E O MUNDO FIGITAL

Silvio Meira é um dos criadores de strateegia, uma plataforma de compartilhamento e construção coletiva de conhecimento para dar suporte a colaborações criativas no espaço figital. Em strateegia, comunidades e organizações podem desenvolver aprendizados e construir estratégias em torno de desafios, a partir de dinâmicas de divergência e convergência de forma assíncrona, iterativa e incremental por meio de brainwriting e encontros remotos.

“Colaboração criativa pode ser o desenho de um produto, de um serviço, a realização de um trabalho, uma reunião, etc. Fizemos essa plataforma para as pessoas trabalharem no mundo de hoje, figital, que é descentralizado. As pessoas conversam umas com as outras no ambiente de trabalho sem precisar de um intermediário. Os protocolos da plataforma é que intermedeiam os processos de conversação de forma estruturada, de tal maneira que é possível desenhar o diálogo que se quer estimular, como o de desenho de uma estratégia, startup, produto, ou serviço, enfim. Ainda por cima, criamos uma maneira distribuída para tomada de decisão”, diz.

Exemplo de jornada em strateegia

Desenvolvida a partir de experiências teóricas e práticas consolidadas ao longo de mais de 20 anos no âmbito da aprendizagem, criação de produtos e serviços e transformação de negócios, strateegia é uma ferramenta versátil que pode se adaptar a diversas necessidades e contextos, que vão desde a realização de uma atividade operacional rotineira à formulação de uma grande estratégia que venha a impactar toda uma organização, ou mesmo criar inovação e novos nichos de mercado.

Na plataforma, o usuário pode não só aplicar uma série de ferramentas consagradas (Blue Ocean, Golden Circle, Heart Framework, só para citar alguns exemplos), como experimentar as criadas e compartilhadas pela comunidade. Graças a sua característica modular e customizável, ela permite ainda a construção de jornadas a partir do zero, bem como a combinação com templates já existentes para a construção de jornadas híbridas.

SILVIO MEIRA

Silvio Meira | Crédito: Leo Caldas

Silvio Meira é professor extraordinário da CESAR.school, professor emérito do Centro de Informática (CIn) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), é um dos fundadores da Digital Strategy Company e do Porto Digital, onde preside o conselho de administração. O professor é membro dos conselhos da CI&T, Magalu, MRV, BBCE, Tempest e membro dos comitês de inovação da Arezzo e YPÊ.

Silvio Meira é engenheiro eletrônico pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) [’77], mestre em Informática pela UFPE [’81] e PhD em Computação pela Universidade de Kent, no Reino Unido [’85].