Quando Campbell propôs o conceito de monomito, em 1949, apontava um padrão para construção de narrativas que viria a ser conhecido mais tarde como a jornada do herói.

O monomito de Campbell foi empregado em muitas das histórias famosas do cinema contemporâneo. Desde George Lucas na saga star wars, passando pelos estúdios Disney para histórias como a pequena sereia e mulan, e mais tarde pela pixar em procurando nemo ou carros.

Aqui, utilizamos o monomito como a base para a construção de narrativas que contam histórias do impacto de soluções inovadoras na vida de personas. Histórias que apresentam pessoas e suas rotinas e apontam como, quando e em que dimensão um determinado produto ou serviço modifica seus hábitos e comportamentos.

Essa adaptação do monomito para o contexto de inovação acabou sendo referenciado como pixar pitch, por diversas razões, mas certamente pela passagem de jobs nos estúdios da pixar. No nosso caso, preferimos uma nomenclatura mais generalista e chamaremos de jornada da inovação, uma referência mais explícita ao monomito do sr. Campbell.

era uma vez

uma persona

A jornada da inovação começa, como toda boa história, apresentando o seu personagem principal, nesse caso, a persona principal, o sujeito que serve de base para inferir oportunidades, propor hipóteses e construir soluções inovadoras.

E como acontece nas boas histórias, a persona evolui na medida em que a história se desenvolve. Afinal de contas, inovar está muito mais relacionado aos sujeitos do que aos objetos, mesmo que para muita gente pareça ser justamente o contrário.

Uma boa apresentação inicial da persona cria empatia, aproxima o leitor ou o ouvinte, das pessoas que serão impactadas pela solução inovadora. E, na medida em que a história avança, torcemos para que a rotina da persona se modifique para melhor, sempre.

Nesse sentido, ao iniciar a construção de uma narrativa para descrever uma jornada de inovação, cuide de aproximar o leitor da persona, descreva em detalhes os sujeitos.

“Era uma vez, a maria, profissional liberal moradora de um grande centro urbano, casada e mãe de duas filhas adolescentes.”

que todos os dias

uma rotina

Um dia na vida da persona pode contar muito dos seus hábitos e comportamentos, e isso pode ser ainda mais relevante quando pretendemos descrever aqueles que apontam oportunidades para uma solução inovadora.

Nesse ponto da jornada de inovação é preciso contar em pormenores o dia a dia da persona, em uma perpectiva de passado mas representado aqui, ainda, como presente. É importante para o leitor ou ouvinte se sentir parte dessa rotina, uma imersão que o permita observar dores e amores da persona.

Para muitos designers, é aqui, na observação do dia na vida das pessoas que está a oportunidade para novos produtos ou serviços. Na nossa visão, aqui é apenas o ponto de partida para prestar atenção no que é normal, naquilo que sempre acontece, uma espécie de retrato comportamental.

O dia na vida é o olhar sobre o passado da persona para entender exatamente aquilo que está por vir.

“A maria e suas filhas se reuniam depois de um dia de trabalho e escola para assistir filmes que alugavam na locadora da esquina da sua casa”

até que um dia

uma oportunidade

Na jornada da inovação, a partir da rotina de um dia na vida da persona se mostra não o que todos estão vendo, mas aqueles pontos invisíveis que abrem as vistas para os mais atentos inferirem potencialidades, desdobramentos que levam a uma oportunidade periférica [no presente] e crítica [no futuro].

A mudança de hábitos por um tempo longo leva a novos comportamentos. É nesse processo de troca de comportamentos que emergem as oportunidades [transparentes para a maioria dos negócios] que podem virar a chave de mercados inteiros.

Nesse ponto da história contada, é o momento de descrever quais são esses hábitos que estão sendo trocados na rotina, os motivos que levaram a tais mudanças e quais os impactos no comportamento da nossa persona.

Essas viradas de comportamento normalmente vem associadas a novos possíveis e novos impossíveis. No exemplo de narrativa que usamos para ilustrar a jornada, a maria e suas filhas descobrem que é possível assistir filmes na internet, mas ao mesmo tempo é impossível encontrar legalmente e de maneira simples, filmes de qualidade.

“Uma das filhas de Maria mostrou para a mãe e para a irmã que era possível baixar filmes e assistir direto da internet conectando o computador à televisão. No entanto, os filmes eram piratas de baixa qualidade e dava muito trabalho para encontrar. Além do risco de estar participando de algo ilegal”.

e por causa disso

uma solução

Chegamos no tempo da jornada onde o herói, a persona, se depara com o novo, a solução inovadora. Um produto ou serviço projetado para mudar a sua rotina, transformar presente em futuro.

As razões pelas quais a solução foi projetada deve, na perspectiva que adotamos para a jornada da inovação, estar relacionada aos novos hábitos, às mudanças percebidas no comportamento da persona.

Aqui é a hora de descrever aquilo que foi projetado, planejado para transformar o dia na vida da persona, alinhando suas aspirações, percebidos nos novos hábitos, a soluções que o ajudam a alcançar capacidades para realizá-los.

A jornada da inovação não se resume à solução, é claro, mas depende dela para se concretizar. A solução é, quase sempre, uma forma de tornar possíveis os novos impossíveis.

“Foram lançados no mercado serviços de filmes para serem assistidos pela internet a partir de uma assinatura mensal”.

e desde então

uma mudança

A inovação não está limitada apenas ao objeto [produto ou serviço] novo, mas especialmente a relação do mesmo com os sujeitos [persona].

Ao chegar aqui na jornada da inovação, o sujeito [persona] já conhece e se relaciona com a solução [objeto], a transformação de sua rotina é evidente. Aquilo que parecia ser uma tendência, uma possibilidade de acontecer é agora um fato.

Uma boa história mostra as conquistas do herói. A nossa proposta para uma jornada da inovação não poderia fugir dos grandes enredos, contamos aqui como os dias na vida da persona serão no futuro que escolhemos para instanciar no seu presente.

“A Maria e as filhas assinaram um serviço de filmes pela internet e diminuíram aos poucos suas idas a locadora da esquina e suas tentativas de baixar filmes em websites ilegais”.

até que finalmente

uma inovação

Inovar é transformar o dia na vida das pessoas para melhor. O fechamento de nossa história se dá, como nas grandes histórias, com finais felizes.

Uma boa jornada da inovação portanto muda a vida das pessoas impactando de maneira positiva sua rotina. É aqui, no momento de encerrar a história, que deixamos claro o valor que a solução proposta entrega para a persona.

Cabe, para encenrrar a jornada, alinhar nossas aspirações com as aspirações da persona principal de nossa história e mostrar como construímos as capacidades necessárias para entregar uma solução de fato inovadora.

“A Maria e suas filhas assinam hoje mais de um serviço de filmes pela internet, e assistem filmes, no tempo que tem para estar juntas, a noite, depois dos trabalhos e escola, ou nos finais de semana chuvosos, quando se reúnem para maratonar séries que acompanham.”