A ponte entre uma idéia apaixonante e uma solução viável, factível e desejável é o desenho de uma estratégia que questione, inclusive, a viabilidade da ideia, da solução… e dela própria.

Uma estratégia mínima viável demanda muito mais que uma ideia; é preciso identificar cenários, conhecer hábitos e comportamentos de pessoas, avaliar aspirações e investigar capacidades e recursos antes de se decidir por uma ideia apaixonante.

Oportunidades, pelo menos as estratégicas, são resultados de um processo de observação imersiva em ambientes reais e servem como base para desenvolver soluções e, a partir delas, negócios.

O que convencionamos chamar de estratégia minimamente viável [MVS], tem por objetivo definir caminhos estratégicos que são úteis o suficiente para definir as diretrizes iniciais para um esforço e eficaz a ponto de ser executada com resultados visíveis.

Isso reduz riscos e evita a falsa ideia de que um produto é a estratégia ou ainda que uma estratégia é algo que pode ser totalmente definido a priori, independente da tática e atividades, sem falar de problema, negócio e contexto.

Este texto foi escrito pelos professores Silvio Meira e André Neves.

A tds.company é a casa de strateegia, uma teoria da prática para transformação estratégica, sobre a qual escrevemos uma frase longa, ilustrada, que está disponível em pdf, no link https://bit.ly/TDSCsat. O nosso trabalho de habilitação estratégica é feito sobre uma plataforma digital que pode ser testada gratuitamente no link https://strateegia.digital.

Photo by Jo Szczepanska on Unsplash